Loading...Loading...


Qual música você mais gostou do CD "O Poder da Aliança"?

Resultados

Uma história construída junto a Família Restauração

09/09/2008
 
No dia 07 de Setembro, o MIR comemorou mais uma edição do Fruto Fiel, durante os três cultos de celebração, com a presença da Pastora e cantora Ludmila Ferber. Na ocasião, concedeu uma entrevista à Redação do MIR e retratou sobre a sua história de aliança com a Família Restauração que há dez anos contempla a próspera trajetória da levita junto à Visão Celular. A Pastora ainda falou acerca dos seus trabalhos fonográficos em 2008 e deixou uma mensagem para os líderes e discípulos que amam a Jesus Cristo
 
REDAÇÃO MIR: No início da Visão, em 1998, Manaus tornou-se um local, como até hoje, de muito ensino e crescimento para os líderes do Brasil e das nações que vinham em busca do alimento celular para seus ministérios. Inclusive, a senhora teve ampla participação nos diversos Encontros ocorridos em locais rústicos da capital amazonense. Como a senhora descreveria esse tempo? E quais os fatos que a marcaram nessa época?
Pastora Ludmila: A coisa mais marcante nessa época foi a aliança que começamos a construir na presença de Deus, entre a minha casa e os Apóstolos Renê e Ana Marita Terra Nova e a equipe de Apóstolos do MIR. Um outro fato marcante foi participar de toda a construção e consolidação da Visão Celular no Brasil e em algumas nações da Terra, porque é muito bom você estar no início, uma vez que não são grandes aos olhos humanos, eles são pequenos e apertados aos corações humanos e a visão natural humana. Mas para aqueles que têm o painel daquilo que Deus quer fazer diante dos seus olhos e vai caminhando nesses processos, desde o começo nos sentimos privilegiados em cada passo. E, na Visão Celular, não foi diferente. Cada passo da Visão, cada Congresso eu participei de todos os Congressos em Porto Seguro e o melhor Congresso em minha opinião continua sendo o primeiro, em 2000. Foi o evento em que não havia créditos acerca da Visão Celular e créditos proféticos consolidados sobre as várias estruturas denominacionais.
O congresso era o primeiro e não tinha como ter reconhecimento dos homens, mas foi um mover de unção e um grande abrir dos céus de Deus sobre o Brasil. A amizade e a aliança que eu carrego até hoje vai ser sempre assim, pois Deus tem-me ensinado a ser uma mulher de aliança. Se alguém quer romper uma aliança comigo é livre, mas eu não sou uma mulher de romper aliança. E isso é algo que é mais uma das inúmeras identificações que eu tenho com o Apóstolo Terra Nova. Se alguém quiser deixá-lo, ele sofre, mas ele deixa ir, ele abençoa porque ele é um homem de abençoar, ele é abençoador, mas ele não é um homem de romper alianças. Então, são essas coisas que nesses dez anos mais pesam em meu coração.
REDAÇÃO MIR: Após dez anos, a Visão Celular no Modelo dos 12 ampliou suas tendas nos territórios nacionais e internacionais, bem como quebrou barreiras denominacionais em vários lugares do mundo. De que maneira você observa esse avanço da estratégia que mais contribuiu nos últimos tempos para a propagação do Evangelho?
Pastora Ludmila: A Visão Celular no Brasil hoje não é mais uma criança. É uma Visão de Deus, respeitada e graças ao Senhor contemplamos aí dez anos. A Visão poderia ter-se tornado uma denominação ou um monumento, mas continua sendo uma visão que vai se ampliando, vai sendo alargada e nos alargando por dentro, e eu coloco o contexto do que Isaías 54 diz: “Alarga o espaço da tua tenda…” Então, basicamente nesses dez anos, a amizade, o amor e a aliança que eu trago comigo de uma maneira efetiva e eficaz me alegram, pois vemos que a Visão Celular passou por tantas lutas e dificuldades, e não nos abalamos, porque uma visão de Deus que entra e é fortalecida em nós não é abalada. Temos ainda muitos ajustes a serem feitos, mas são tão-somente dez anos, há muita coisa para ser feita e temos pedido a Deus humildade suficiente para não achar que chegamos lá, pelo contrário, nos inclinamos diante dEle e dizemos: “Senhor, como é que se faz essa Visão? Como é que se consolida vidas na Tua presença com essa Visão?”.
REDAÇÃO MIR: A Família Restauração sempre expressou um forte apoio em sua trajetória ministerial. Conte-nos como ocorreu esse processo de consolidação na sua vida e a sua forte aliança com o MIR.
Pastora Ludmila: O meu esposo, Pastor José Antônio, foi convidado para fazer um Encontro com Deus em Manaus. A chuva do Senhor caiu sobre ele e ali lavou muitas coisas na vida do meu esposo. Ele voltou para o Rio de Janeiro e após esse Encontro, ele teve uma reunião com o Apóstolo Terra Nova e houve uma ligação muito forte entre eles. O meu esposo veio com todas as forças e disposto a levar a Visão Celular para a estrutura denominacional da qual fazemos parte, compartilhando isso com as pessoas que amamos até hoje que era a Igreja Sara Nossa Terra. Então, a pessoa que Deus usou para levar a Visão Celular para a Sara Nossa Terra foi o meu esposo, e logo depois foi realizado o primeiro Encontro com Deus feito no Rio de Janeiro em que participei e ali conheci os Pastores Renê e Ana Marita, a Pastora Joice Alexandre, tudo Pastor na época e continuam sendo para mim e para todos que continuam debaixo do cajado pastoral – para sempre serão pastores mesmo porque apascentam o nosso coração. E desse primeiro contato foram parar na minha casa também os Pastores Gilvan e Telma Menezes, Marcel Alexandre, Arão e Ester Amazonas, Maurício e Raquel Castro, quase toda a equipe foi na minha residência e ali surgiu essa aliança sobrenatural. Dali ninguém se separou nunca mais.
REDAÇÃO MIR: Com relação ao seu trabalho na indústria fonográfica, fale um pouco sobre o mais novo álbum denominado “Pérolas da Adoração” e seus novos projetos.
Pastora Ludmila: Esse álbum é um sonho de Deus realizado mais uma vez na minha vida em um momento muito especial e belíssimo com a participação da Ana Paula Valadão e David Quinlan, dois amigos pessoais de aliança, de caminhada, de amor e de intercessão mútua. Nele podemos encontrar canções já consagradas feitas com uma nova roupagem. Hoje é muito difícil eu dizer qual é o melhor trabalho, pois cada um tem uma história. “Pérolas da Adoração” é um projeto 100% debaixo da minha visão, o “Nunca pare de Lutar” é um projeto muito profético, mas cada um tem uma história para contar e um tempo de Deus falando ao seu povo. Atualmente, estamos no início da produção do “Adoração Profética 6” que vai falar essencialmente sobre a esperança. O CD vai ser lançado ainda este ano.
REDAÇÃO MIR: Qual é a marca principal do ministério levítico da Pastora e cantora Ludmila Ferber?
Pastora Ludmila: A minha marca é a Paixão pelo chamado. Eu sou apaixonada pelo chamado e pelo Deus que me chamou. Essa paixão é o que me move e o que me faz ser indesistível. Eu sei que não posso parar. Diante de tantas lutas que enfrento, já poderia ter parado, são muitas as pressões, mas eu não posso parar porque tem algo que me move, é uma chama, é um fogo que não se apaga, é a paixão pelo chamado, é esse senso de destino que está impregnado e entranhado em cada célula do meu corpo e em cada suor e pedacinho da minha essência e o caráter profético, eu não sei adorar sem profetizar, eu não sei profetizar sem adorar, eu não sei fazer outra coisa a não ser isso.
REDAÇÃO MIR: Deixe uma mensagem para os Líderes e discípulos que são abençoados com as canções advindas dos sonhos e propósitos de Deus para essa geração.

Pastora Ludmila: Não desista, não pare de crer, nunca pare de lutar, coragem, você é um nobre, e foi isso que Deus te fez. Você é um guerreiro e valente de Deus, não desista de forma alguma porque, se você não desistir, a vitória estará diante de você. Espere em Deus, pois a esperança não morre jamais.
Fonte: www.mir12.com.br
 
070 mg_2943_2 17 Congresso de Mulheres 2011 13 Congresso de Mulheres 2011 mg_3033 foto-c